BLOG

Buscar

Comunicação em saúde por Soraya Costa

Atualizado: 17 de Jan de 2019


Destacar-se no competitivo mercado de saúde não é uma tarefa fácil. Por isso, em meio a uma multidão de profissionais em busca de visibilidade, cada um usa suas estratégias e diferenciais, em busca de um lugar ao sol.


E a comunicação certamente é uma das ferramentas mais utilizadas pelos profissionais de saúde para ganhar notoriedade, atraindo e retendo clientes.


Pensando em entender o que pensam estes profissionais - e auxiliar tantos outros a planejar estratégias e escolher caminhos - a Checkup Comunicação criou a série "Comunicação em saúde”, onde contaremos um pouco da história de cada um e de como eles usam a comunicação a seu favor.


Iniciamos a série Comunicação em saúde com a nutricionista e terapeuta ayurveda Soraya Costa, que atua com nutrição funcional, vegetariana e comportamental.


Checkup - Como você iniciou na nutrição?

Soraya - Sempre me alimentei de forma saudável, na minha casa sempre foi assim. Na adolescência comecei a ter "noias" com o corpo, fazia dietas de shakes, comia alimentos diets e lights, e achava que estava abafando. Acreditava que estava cuidando da minha saúde. Aos 18 anos, fazendo faculdade de Hotelaria, tive um transtorno alimentar. A bulimia teve como gatilho a saída da casa da minha mãe e o falecimento dela 6 meses depois. Eu comia tudo que via pela frente, até hoje não sei como comia tanto. Era para preencher um vazio dentro de mim. E como tinha "noia" com o corpo, eu vomitava. Passei anos bulímica. Fui estudar nutrição, não por conta do transtorno, pois eu não fazia um link entre as duas coisas, eu não via a nutrição como uma forma de tratar o transtorno. Hoje eu sei que tem tudo a ver, estudando você vê que muitas estudantes de nutrição também tem.


Checkup – E como conheceu a Ayurveda?

Soraya - Eu não gostei muito do curso de nutrição, pois nos restringíamos muito a contar calorias e macronutrientes, eu achava que não era algo individualizado. Nesta época eu comecei a fazer ioga. Foi através de um trabalho da faculdade que conhecia a Ayurveda, vi que tinha a ver com ioga e me apaixonei. Ela é uma medicina integrativa, que considera corpo, mente e espírito e, principalmente, o alimento. Então eu fui fazer essa formação, viajei pra Índia para estudar e sei o quanto ela funciona. Eu me encontrei, quando eu descobri a Ayurveda comprei vários livros e passava o final de semana em casa lendo, estudando. O Ayurveda explica a vida, desde a sementinha até o cosmos, e isso tem muito a ver com a nutrição, chega a ser poético, é muito lindo e funciona.


Checkup – E como é atuar e ser vista atuando em um segmento tão diferente, que é a nutrição ayurveda?

Soraya – É bastante difícil porque quando se fala em nutricionista você pensa em emagrecimento e, de preferência, rápido. O meu trabalho é na questão da consciência, de se relacionar com o alimento, entender e saber o que você está comendo e, a partir disto, fazer as suas escolhas. A maioria das pessoas não quer fazer isso. Primeiro porque a maioria das pessoas está em um ritmo frenético de vida. É um trabalho bastante de formiguinha, pois nem todos estão dispostas a passar por um processo desses, mas quem se propõe passa por mudanças permanentes.


Checkup – Como as ferramentas de comunicação te ajudam a divulgar a Ayurveda e o seu trabalho?

Soraya – Por enquanto, a minha experiência foi muito positiva, as redes sociais me ajudam bastante. Eu recebo muitas pessoas que vem por conta de redes sociais, principalmente por meio do Instagram. Essa é a principal forma que os pacientes chegam, além das indicações.


Checkup – Você acredita que a quantidade de informação disponível na internet pode atrapalhar na sua atuação como nutricionista e na vivência dos pacientes?

Soraya – O excesso de informação atrapalha, muitas vezes são de fontes não confiáveis. Não existe algo bom para todos, igual para todos. As pessoas veem fulano fazendo tal dieta e querem seguir também, e muitas vezes pode gerar compulsão e outros efeitos. As pessoas fazem muitos testes com a alimentação. Há também muitas pessoas que não buscam sequer um profissional no consultório, ficam apenas com a informação superficial da internet. Tem pessoas que querem ser atendidas na internet, querendo uma consulta virtual. É um universo delicado, você não pode prometer o emagrecimento de tantos quilos em tantos dias. Isso não existe. Algumas vezes os pacientes chegam aqui e despejam um monte de informação daquilo que seguem na internet. Geralmente eu oriento a deixar de seguir algumas pessoas.


Checkup – Como você vê essa busca incansável das pessoas pelo corpo perfeito?

Soraya - A gente precisa saber usar a internet, ela é muito sedutora. É preciso avaliar o que estamos seguindo, se aquilo está nos fazendo bem. As pessoas seguem blogueiras que dizem que é fácil alcançar os objetivos, que é só você ter força, foco e fé. Por isso hoje vemos tanta gente com transtornos. E cada geração é um estereótipo. Antes era ser gordinha, depois ficou sendo ser magrela, agora é o mais difícil de todos, que é ser magrela com músculos, . É para você não ter gordura e ter músculo, que é um padrão totalmente masculino, e as mulheres querem isso. Elas veem que a fulana consegue e elas não conseguem e se sentem fracassadas. Quando chega o verão elas não vão à praia, não colocam um shorts, não vivem por causa de um corpo, que elas acham que está inadequado.


Checkup – Qual tipo de conteúdo você busca publicar? Como você usa as suas redes?

Soraya – Eu faço bastante conteúdo de conscientização sobre alimentação, falo muito do mindfuleating, que é o comer consciente, mas mesclo também com aquilo que as pessoas querem, sem fugir do meu trabalho. O que as pessoas querem ler? Querem saber sobre algum nutriente, então vamos falar disto. Eu faço muito o trabalho de conscientização, para as pessoas se perceberem, estimulo as reflexões.


Checkup – Como você vê a divulgação dos assuntos e serviços de saúde nos meios de comunicação?

Soraya – Eu conheci muitas pessoas nesse mundo virtual que eu jamais teria conhecido. Você começa a ver com as pessoas trabalham, como veem a nutrição e medicina. Quando encontrei as pessoas que pensam como eu, me senti menos sozinha. Por isso a internet tem esse lado muito bom. Mas claro que tem o lado ruim também, se eu me interessasse por conteúdo de dietas malucas, teria muito conteúdo para mim também. Hoje eu compreendo um pouco mais, mas no começo eu tinha muita resistência com o uso das redes sociais.


Checkup – Você usa as plataformas digitais (Facebook, Instagram e site) como uma extensão do seu trabalho?

Soraya – Nas redes sociais as pessoas leem pelo celular e ninguém pára para ler, então tenho também o meu site, onde posso escrever mais (www.sorayacosta.com.br). A divulgação pelas redes sociais é o principal meio para você vender cursos, por exemplo. Fazendo a divulgação por ali você segmenta o público interessado.



Checkup Comunicação Estratégica